Gamificação no mundo corporativo promove melhores resultados e integração entre o time

|

Gamificação no mundo corporativo promove melhores resultados e integração entre o time

O termo gamificação, ou gamification em inglês, tem ganhado grande notoriedade nos últimos tempos em diversas aplicações, entre elas o uso do conceito no mundo corporativo.

Afinal, a palavra se refere ao uso de jogos e competições em situações cotidianas para gerar resultados positivos e alto engajamento. A técnica costuma ter boa aderência, visto que a competição e a cooperatividade são instintos do ser humano.

Com aumento da competitividade e um consumidor cada vez mais exigente, a estratégia de gamificação tem sido usada para reter a atenção e criar fidelidade com os clientes. Além de ser usada para integrações internas entre os funcionários.

 

Mas o que é gamificação?

 

Toda a atividade de gamificação deve utilizar do conceito de jogos para instigar a participação do usuário, cliente ou funcionário, na realização da atividade proposta. Para ser considerado um conteúdo gamificado, é necessário cumprir alguns critérios, são eles:

  1. ter regras fixas;
  2. conter uma meta;
  3. dispor de um sistema de feedback;
  4. o resultado deve ser variável e mensurável;
  5. a ação proposta precisa demandar algum esforço do jogador;
  6. os participantes devem ter consequências relativas aos esforços realizados. 

Além desses, um ponto de atenção ao desenvolver um conteúdo com gamificação é sobre a experiência do usuário. Caso o jogador tenha dificuldade, tanto com o conteúdo, como com a plataforma, ele desistirá e sua estratégia de engajamento não funcionará.

 

Origem dos jogos

 

Os jogos estão presentes na história da humanidade há muito tempo. O geógrafo e historiador grego, Heródoto, conta em uma de suas obras como o povo da Lídia inventou o primeiro jogo, há aproximadamente 2.500 anos atrás.

Segundo o relato dele, o povoado da região da Lídia enfrentava um período de estiagem e pouca comida. Para superar essa situação, o Rei Atys decretou que a população deveria se alimentar por um dia e no outro se distrair com jogos criados por eles.

Segundo a história, eles passaram por 18 anos vivendo desta maneira, mas mesmo assim o problema não foi resolvido. Então, surgiu uma medida ainda mais drástica: a civilização foi dividida em dois grupos e disputaram uma partida de um jogo. Os vencedores ganharam o direito de deixar o local e explorar outras cidades, dando origem ao povo Etrusco.

Desde então, os jogos começaram, cada vez mais, a fazer parte das nossas vidas, passando por grandes evoluções, tanto para os jogos físicos e de tabuleiro, como para os de videogames e computadores.

 

Principais características de um jogo

 

Abaixo, listamos as sete principais características que estão presentes na maioria dos jogos:

 

  1. Pontuação – o jogador acumula pontos ao progredir nas atividades propostas;
  2. Níveis – são as progressões que o usuário deve concluir para chegar ao resultado final;
  3. Progressão – assim como os níveis, disponibilizar um status de progressão, permite ao usuário se situar no jogo e avaliar seu desempenho;
  4. Avatares – são os personagens que habitam o ambiente do jogo. Em vários casos, é possível personalizar as características desses avatares, tanto no aspecto físico, como no emocional;
  5. Gráfico social – como já dito, a competição é uma característica presente no ser humano e esses gráficos são responsáveis por permitir a comparação e análise de desempenho entre os diferentes jogadores;
  6. Missão – além dos níveis, uma estratégia usada para o engajamento é criar pequenas missões que aumentarão o índice de engajamento;
  7. Coleção de recursos – vários itens se enquadram nos recursos colecionáveis ao longo do jogo, entre eles vida, poderes, roupas e acessórios para os avatares, etc. Na maioria dos casos, a qualquer momento o usuário pode abrir mão de algum desses recursos em troca de uma recompensa.

 

Benefícios de usar a gamificação no negócio

 

Existem inúmeros benefícios em utilizar essa estratégia para o negócio, tanto internamente, para os colaboradores, como na estratégia de marketing para impactar os consumidores finais. 

Confira na lista abaixo os principais pontos positivos do conceito aplicado internamente nas empresas:

 

1- Estimula o engajamento e a interação entre colaboradores

Muitas vezes, a estratégia de gamificação é utilizada pela equipe de Comunicação Interna, isso porque as atividades geram resultados positivos no clima organizacional de uma empresa, principalmente se os jogos forem em equipe e os times forem formados por integrantes de diferentes áreas. 

 

2- Incentiva novas ideias

Com a interação exigida pelos jogos e a troca de habilidade entre pessoas, é natural que novas ideias surjam. A técnica pode ser usada como um artifício para a inovação e ideias disruptivas.

 

3- Desperta o espírito de liderança

Em qualquer jogo em equipe, é possível identificar quem são os melhores líderes e quais pessoas têm mais aptidão para os cargos de lideranças. Na gamificação em empresas não é diferente, no meio das atividades é possível notar quem será o responsável pela organização e sucesso da entrega do grupo e também como é a coordenação de cada um dos indivíduos. Ou seja, o método pode ser usado também como uma ferramenta de recursos humanos para treinar melhores líderes. 

 

4- Aumenta os lucros

Empresas com um bom clima organizacional, tendem a lucrar mais. Isso porque, colaboradores felizes têm entregas melhores e conseguem inovar mais. Além disso, com a gamificação e um objetivo claro, o time consegue trabalhar melhor para atingir a meta proposta.

 

5- Trabalha o foco

Com um longo tempo de casa, os funcionários tendem a perder a motivação inicial e o foco para resultados. A aplicação de gamificação pode, por meio dos desafios, feedbacks e recompensas, recuperar esses sentimentos, tornando os funcionários mais engajados e focados. 

 

Já para o conceito aplicado para os consumidores finais, os principais benefícios são:

 

1- Fidelização

Quanto maior o engajamento entre o consumidor e a marca, mais forte é o relacionamento e maior é a chance de fidelização. Quando um consumidor tem experiências muito positivas com uma empresa, é comum que ela se torne para ele a “Top of mind” do segmento, ou seja, aquela que lhe vem primeiro a cabeça. A gamificação influencia diretamente neste aumento do engajamento.

 

2- Aumento do alcance

Quando uma boa estratégia de gamificação é aplicada, ela tem a chance de fazer tanto sucesso ao ponto dos próprios usuários compartilharem o conteúdo. Com isso, o alcance aumenta organicamente, ou seja: o sonho de qualquer profissional de marketing é realizado.

 

3- Coleta de dados

Para saber sobre os seus clientes, é crucial que uma empresa analise os dados dos mesmos. A técnica de gamificação pode ser aplicada para isso, coletando dados sobre interesses e consumo dos jogadores.

 

Como usar gamification na sua estratégia de marketing?

 

A gamificação é uma ótima estratégia de engajamento para o marketing, mas para criar um conteúdo gamificado é preciso análise e estudo do objetivo da campanha, bem como dos clientes. 

Confira abaixo seis passos que podem ajudar na estruturação:

 

  • Identifique o problema e defina seu objetivo

Para começar a estruturar uma estratégia de gamificação é necessário saber qual problema você tem e quer resolver.  Só assim, você será capaz de criar um conteúdo interativo que satisfaça o objetivo da empresa. 

 

  • Conheça a sua persona

Como o conceito de gamificação visa engajar a audiência, é necessário que você conheça muito bem quem é o público que quer atingir. Para isso é necessário fazer uma análise completa sobre as características dos perfis que deverão ser atingidos pela sua marca e também quais são os desejos, dores e preferências dos públicos. Caso o seu produto tenha um leque grande de perfis, vale traçar diferentes personas, que podem até ter diferentes estratégias de marketing.

 

  • Estruture a plataforma do jogo

Para um bom engajamento, o jogo precisa ter a melhor experiência possível para os usuários. Para atingir esse objetivo é importante buscar referências em outros jogos e concorrentes, realizar brainstorms e o mais importante: fazer inúmeros testes. Além disso, as regras do jogo devem ser claras e o conteúdo deve ter uma história envolvente. Uma boa ideia é possibilitar que a aplicação seja compartilhada em redes sociais. 

 

  • Faça uma análise completa sobre os resultados

Depois de divulgar o seu jogo e atingir o público esperado, chega o momento de analisar os resultados obtidos. Assim você poderá ter insights para o seu negócio e identificar pontos de melhoria na estratégia. 

 

Conheça alguns cases de empresas que apostaram na gamificação

 

A base da gamificação está nos programas de pontos, milhagens e semelhantes. Eles nada mais são do que oferecer recompensas aos clientes que concluíram determinadas tarefas – compraram X produtos, recomendaram para X amigos que a consumiram.

Mas muitas empresas estão levando esse conceito bem além. Veja o caso da brasileira Wine, por exemplo. A empresa de assinatura de vinhos queria comemorar seus sete anos e em vez de fazer uma promoção simples, envolveu seus clientes em uma pequena gincana. Durante sete dias, seriam disponibilizados vídeos com dicas e referências a determinadas marcas. Quem as descobrisse conseguiria descontos nos produtos dela.

A americana Starbucks fez uma ideia mais simples e criou o programa My Starbucks Reward. Nele, o cliente se registrava em um aplicativo e cada vez que comprava um café ou qualquer outro produto em uma loja Starbucks ganhava pontos em forma de copinhos. Para cada um dos três níveis de lealdade no serviço, a empresa ofertava brindes que iam desde cafés gratuitos a copos personalizados.

A Coca-Cola, no entanto, criou um conceito ainda mais multiplataforma. Para promover uma propaganda na Coreia, lançou um aplicativo para isso: o Shake It. Nele, os adolescentes (público-alvo da campanha) eram convidados a chacoalhar o telefone toda vez que o comercial passasse na televisão às dez da noite. Ao fazer isso, eles poderiam ganhar diversos prêmios e descontos em lojas conveniadas.

Uma outra ideia, desta vez da Samsung, extrapolou a internet e o mundo dos aplicativos e foi parar na rua. Totens da empresa foram instalados em centros de grande movimentação para que os clientes/competidores olhassem fixamente para um celular S4 que estava nele. Se não desviassem o olhar por 60 minutos, eles ganhariam o aparelho. A campanha “All Eyes on S4” possui todos os elementos de gamificação e foi um sucesso para o branding da Samsung à época.

O interessante de utilizar esse tipo de estratégia é que ela torna o processo de compra mais divertido e, por isso, tem um alto poder de viralização, especialmente se tiver componentes de competições entre amigos.


Cadastre seu e-mail para receber conteúdos