As lições das Olimpíadas aos profissionais de marketing

|

Sou fã de Usain Bolt desde as Olimpíadas de 2008. O corredor tricampeão olímpico em três provas, que já quebrou vários recordes, passa os adversários com sorriso no rosto e faz tudo parecer tão simples. Depois de cruzar a linha de chegada, anima a torcida, faz graça, não perde a simpatia. É o melhor em sua categoria, é o raio!

Mas a festa que são os Jogos Olímpicos, onde as pessoas estão empolgadas vendo a glória de seus ídolos, muitas vezes não revela o caminho que os atletas percorreram até ali. E aí estão algumas das lições das Olimpíadas. Alcançar menos de 10 segundos numa corrida de 100 metros, como é o caso de Bolt, significa investir horas de treinamento por meses, anos.

Chegar ao sucesso significa ter disciplina para realizar ações periódicas e paciência para entender que levará algum tempo até que essas ações tenham resultados. A lição é: os resultados consistentes não surgem do dia para a noite, nem de um mês para outro.

“Muitas pessoas nos veem correndo e acham que é fácil, que não é preciso muito esforço. Mas antes de chegar às corridas, há muitos sacrifícios. Parece que você vai morrer. Tem horas que dá vontade de jogar tudo para o alto e voltar para casa”, disse Bolt no documentário “O homem mais rápido do mundo”. A diferença dele em relação a muitos outros é justamente que ele não larga tudo. Continua com os treinos e os esforços necessários para alcançar seu objetivo.

Outro grande exemplo que se encaixa no quesito lições das Olimpíadas é Michael Phelps, da natação, o maior medalhista dos jogos. Um comercial da TV americana mostra os treinos do americano e resume: o trabalho está nos bastidores, a competição é a parte fácil.

As lições das Olimpíadas e o marketing digital

O que nós, que trabalhamos com marketing digital, e também as empresas que investem nessa área, devemos aprender com atletas olímpicos como Bolt e Phelps é ter disciplina para executar periodicamente as ações que construirão os resultados de nossos clientes, sabendo que para manter a consistência desses resultados é preciso pensar a médio e longo prazo.

Se defendemos que o trabalho de marketing digital tem como um de seus principais objetivos fazer com que nossos clientes sejam referência em suas áreas, devemos entender que ninguém vira referência e autoridade em um assunto do dia para a noite.

Cair é motivo para levantar, não para desistir

Além disso, não se pode desistir no primeiro obstáculo e achar que se os resultados não vieram como era esperado é hora de parar. E é neste quesito que o brasileiro Diego Hypólito se destaca entre as lições das Olimpíadas. Ele levou 12 anos, três Olimpíadas e dois tombos para chegar ao pódio. Mas não desistiu. E depois da vitória ainda relevou que em outros tempos subestimou a importância da preparação:

“Eu me achava um super-herói e achava que não era necessário um comando, um bom fisioterapeuta, um bom médico e um bom nutricionista. Não que eu não tivesse. Eu tinha, mas não seguia tudo como eu fiz agora”.

Por fim, observei nas Olimpíadas do Rio outra característica fundamental desses atletas de alto rendimento: o carisma! Bolt na corrida, Phelps na natação, até mesmo nosso manezinho Guga nos comentários da TV. Para chegar ao sucesso em qualquer situação na vida é preciso ter foco, disciplina, persistência, e manter sempre o sorriso no rosto!

 

cta-e-book-101-dicas-rapidas-para-um-marketing-digital-de-resultados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail para receber conteúdos