O que é presença digital e como usá-la a favor da sua empresa

|

O que é presença digital e como usá-la a favor da sua empresa

Ter uma presença digital é muito mais do que possuir um domínio na web e um perfil em uma rede social com uma atualização semi-frequente. Presença digital é a maneira como a sua marca se posiciona e utiliza os meios digitais para se mostrar relevante, confiável e incentivadora de um relacionamento com os consumidores.

Apesar de ser um conceito um pouco amplo, é um diferencial empresarial em tempos onde antes de fazer qualquer compra as pessoas buscam na internet por informações, opiniões e possibilidades.

Ao fim de um plano de marketing digital, um dos objetivos pode e deve ser um posicionamento digital mais consolidado. A construção de uma marca na rede, entretanto, exige um trabalho contínuo e persistente. Uma vez conquistada a posição que você almeja, é necessário seguir neste processo para que se mantenha e sempre se aprimore.

 

Os quatro pilares de uma presença digital

 

Na construção de um posicionamento digital muitos fatores entram em avaliação: o branding da empresa, a relevância frente aos concorrentes, o relacionamento com o cliente, as redes sociais, o conteúdo produzido, o design, o propósito, os valores. Tudo é essencial na maneira como a sua empresa é vista e percebida pelo público. Separamos em quatro grandes grupos:

 

1- Conteúdo

 

O conteúdo é como você irá criar relevância e confiabilidade na internet. As pessoas buscam informações na rede antes de efetuar quase todas as compras, seja de serviços ou de produtos. Mostrar credibilidade e conhecimento na sua área irá atrair o público e, consequentemente, melhorar seu posicionamento digital.

Lembre-se de que todo conteúdo criado e publicado tem de falar diretamente com a sua persona e estar alinhado com algum dos momentos de uma jornada de compras.

O conteúdo também auxilia na hora de ser achado por mecanismos de busca, através de técnicas de SEO, palavra-chave e otimização de posts.

 

2- Relacionamento/engajamento

 

O relacionamento é fundamental para aproximar o seu público da sua empresa e, assim, aumentar a sua presença digital e a geração de leads. É também por meio desse relacionamento que você pode obter mais informações sobre sua persona e, assim, adaptar estratégias de marketing digital para atingi-lo de forma mais eficiente.

E não para por aí: você também pode fortalecer um relacionamento com seu cliente e fazer com que ele siga comprando os serviços e produtos da sua empresa. As possibilidades são infinitas!

Um bom meio de intensificar esse relacionamento é através das redes sociais ou por meio do e-mail marketing. Nas redes sociais é importante verificar onde o seu público-alvo está e qual a melhor linguagem para chegar até ele.

No entanto, é essencial lembrar que relacionamento não é apenas falar sobre o seu produto ou divulgar os seus conteúdos: é se comunicar com o público. É necessário ter alguém para ouvir e responder sempre que for acionado, assim como incentivar a interação e o engajamento.

 

3- Plataforma user-friendly

 

Os seus produtos são criados para uma pessoa, certo? Pode parecer loucura, mas é importante não perder isso da mente. Por isso, quando criamos um site, temos de pensar na maneira de transformar a experiência dela na melhor possível, afinal queremos que nosso público entre em contato com a empresa.

A plataforma deve, sim, ser focada na conversão de visitantes em leads, mas não pode deixar de lado a usabilidade e a navegabilidade. Uma boa experiência para mobile também é essencial, uma vez que não só as pessoas estão usando cada vez mais os dispositivos móveis, como também é critério para ser melhor ranqueado em ferramentas de busca como o Google.

Encantar um cliente passa por toda a experiência – desde a descoberta até o pós-venda. E isso é demonstrado de forma bem intensa no momento que ele efetivamente vai efetuar a compra no seu e-commerce. Um cliente satisfeito facilmente fala sobre o seu produto para outras pessoas e até o defende. Já pensou nisso?

 

Dica: Para você se aprofundar nesse assunto, leia o nosso conteúdo sobre UX que aborda a sua importância em uma estratégia centrada no cliente.

 

4- Posicionamento/branding

 

O posicionamento da sua marca deve estar intimamente ligado ao público que você quer atingir. Mas não é porque você está em múltiplos canais, que deve ter múltiplas personalidades.

Todos os conteúdos e ações devem estar alinhados no mesmo discurso. De nada adianta um Facebook todo moderno, com ótima interação e um e-mail de um cliente não receber resposta.

Gerir corretamente a marca da sua empresa é essencial para estabelecer um posicionamento digital forte e relevante na internet.

 

Marketing de relacionamento: como adotar essa estratégia

 

O marketing mudou. Sabemos que não basta uma empresa apresentar seus produtos e serviços para seu público e esperar que ele simplesmente consuma: é preciso criar um relacionamento com o cliente. E essa estratégia, chamada de marketing de relacionamento (ou Customer Relationship Management – CRM), inicia antes do momento da compra e se estende para além dele, buscando fidelizar o cliente.

Mas se o marketing de relacionamento é uma aposta certeira para engajar clientes e atrair interessados em seu produto ou serviço, como é possível adotar essa estratégia em sua empresa? A Tekoa tem essa resposta e pode ajudar você a melhorar o relacionamento com seus clientes e potenciais clientes, tornando sua marca uma referência de mercado.

 

Marketing de relacionamento: como implantar

 

A seguir, listamos os principais pontos a serem seguidos para implantar uma estratégia de marketing de relacionamento na sua empresa:

 

1- Conheça o seu público:

 

Saber quem é a sua audiência é o primeiro passo para sua estratégia de marketing de relacionamento dar certo. E como conhecê-lo, saber de seus gostos, preferências e o que ele espera da sua marca? Para isso, você pode, por exemplo, realizar entrevistas com alguns clientes potenciais, enviar formulários e aplicar data intelligence em amostras de clientes.

Com essas informações em mãos, você saberá quais são as principais características de seus consumidores e poderá direcionar a oferta de seus produtos e serviços para eles. Para deixar ainda mais estruturado, você pode utilizar esses dados para construir as personas do seu negócio, ou seja, estereótipos criados a partir de seus clientes ideais.

 

2- Defina os canais e formas que usará para colocar em prática as ações de marketing de relacionamento:

 

Agora que você já definiu quem é seu público-alvo e quais são as principais características dele, é hora de decidir de que forma e quais canais você utilizará para se relacionar com ele. É um público mais jovem, que tem grande conhecimento e familiaridade com as redes sociais e usa uma linguagem mais informal? Ou é um público mais conservador, que prefere ser abordado por canais mais tradicionais e linguagem mais formal?

Nesse ponto, é importante salientar que, quanto mais interação esses canais permitirem que você tenha com o cliente, melhor. Ter esse perfil do seu usuário mapeado vai ajudar a pautar o relacionamento que você construirá com ele.

 

3- Produza conteúdo sobre seu produto e seu mercado para a audiência:

 

Aqui está um dos diferenciais do marketing de relacionamento: em vez de apenas oferecer seu produto ou serviço, você se tornará referência quando o assunto for informação sobre seu produto ou sobre seu mercado. É desta forma que você terá material para manter o relacionamento com os interessados e transformá-los em consumidores do seu produto.

 

4- Planeje as ações de marketing de relacionamento com base no comportamento:

 

Continue utilizando as informações disponíveis sobre os clientes para saber em que momento deve parar de oferecer apenas conteúdo e passar a apresentar seu produto ou serviço.

É importante que você saiba quando o consumidor está no momento certo da compra: se você oferecer o produto cedo demais, ele poderá ainda não estar preparado ou interessado; se oferecer tarde demais, ele poderá ter sido atraído pela concorrência.

 

5- Analise seus resultados e aprimore os processos:

 

No marketing de relacionamento, não basta fazer a venda; é preciso analisar todo o processo pelo qual o consumidor passou até a decisão de compra e avaliar de que formas ele pode ser melhorado.

Mapeando toda a jornada de compra, você garante um desempenho melhor na aquisição dos próximos clientes e aumenta as chances de fidelizar os que já possui.

 

Branding: como gerir marcas de sucesso

 

Você já parou para pensar por que algumas marcas são mais fortes do que outras que oferecem o mesmo produto ou serviço? Por que escolhemos uma e raramente olhamos para as outras prateleiras para buscar novas alternativas? Por que ao falarem em alguns produtos como “celulares”, “carros”, “refrigerantes” ou “roupas”, pensamos em uma marca específica?

A resposta para isso é simples: essas empresas fizeram um excelente trabalho de branding. O branding, ou gestão de marca, é todo o trabalho realizado para tornar a sua marca mais conhecida, desejada e consumida.

Ele tem um papel fundamental no momento de compra, porque permite que os consumidores diferenciem os produtos e elejam qual será adquirido. Mas esse processo não é algo rápido. Para uma marca se consolidar no mercado é necessário tempo, persistência e consistência.

 

O que é branding?

 

Como já falamos, branding é a gestão da marca. São as ações para construir, gerenciar e reposicionar valores da empresa perante o público. As estratégias de branding irão auxiliar na criação dessa identidade de marca e orientar as ações para que a imagem pretendida pela empresa seja a mesma recebida e compreendida pelos consumidores.

Nós, consumidores, adoramos falar, discutir e analisar essas marcas que fazem um trabalho bem feito porque elas grudam em nossa mente e geram experiências memoráveis e sentimentos.

Normalmente a identidade de uma marca é constituída de uma história. Segundo Brigitte Borja de Mozota no livro “Gestão do Design – Usando o design para construir valor de marca e inovação”, “pessoas não se apaixonam por estratégias de negócios. Pessoas se apaixonam por histórias. Histórias verdadeiras e com essência e emoção”.

Ao gerar emoções através de suas histórias, o consumidor se identifica com a marca e com o que ela propõe e se fideliza. “As marcas fornecem ao produto e à organização um significado e uma história, auxiliando nas ligações emocionais criadas na mente do consumidor”, finaliza.

Esse conceito está parecendo muito abstrato? É só observar algumas grandes marcas no mercado hoje em dia, como a Pixar, por exemplo. No próprio site, eles afirmam ser “desenvolvedores do RenderMan, um software para a criação de imagens realísticas e de alta qualidade”. Na realidade, eles vendem tecnologia. Mas o que você lembra ao falar em Pixar é de um peixinho vagando pelo oceano e brinquedos com vida que foram deixados em casa por um adolescente. Você lembra de histórias que instigaram sentimentos e reações.

Outros exemplos desse trabalho é a Coca-Cola, que vende felicidade – e não refrigerante; a Adidas que vende sonhos e conquistas (Impossible is Nothing) – e não produtos esportivos. Até a brasileira Blueticket não vende ingressos, possibilita experiências ao vivo. A semelhança entre todas elas? Elas não focam em produtos, mas, sim, em histórias, personalidade e experiências.

Mas não são só as gigantes que podem trabalhar o branding. Por exemplo, um restaurante de comida vegana pode vender um estilo de vida, saúde, um ponto de encontro para pessoas com mesmos gostos. Desde startups a médias empresas e multinacionais: o processo de branding é um dos elementos que definem o sucesso da empresa e a fazem aumentar seu valor de mercado.

 

Quais são os ingredientes necessários para um bom processo de Branding?

 

O processo de construção de uma marca passa, em resumo, por quatro fatores: propósito, posicionamento, definição da identidade e proposta de valor.

Propósito: é o porquê de a marca existir. Todo negócio deve deixar claro qual produto ou serviço ele oferece. É um processo mais interno, que fala diretamente sobre o core da empresa. Nosso propósito, aqui na Tekoa, é “transformar experiências e gerar resultados”.

Posicionamento: é como a marca quer ser vista pelos stakeholders. É a percepção externa do negócio. Ele é feito em cima de um trabalho de conhecimento de público-alvo, que irá determinar a personalidade que a marca deve ter, o tom do conteúdo, ações e o slogan.

Definição da identidade: é o processo criativo do design que irá traduzir, em padrões visuais e comportamentais, a personalidade que a marca deseja transparecer. É onde é produzido ou remodelado o logo, paleta de cores, site etc.

Proposta de valor: é o branding em si. É o benefício que será entregue ao seu cliente, que apenas a sua marca pode fornecer. São as experiências e sentimentos despertados pelas estratégias de gestão.

Todo esse processo deve começar dentro da empresa, sendo absorvido pelos próprios funcionários. Somente assim, todas as experiências de contato entre a empresa e o público poderão realmente passar o mesmo branding e proposta de valor.

Para que você consolide a presença digital da sua empresa, separamos outro conteúdo para você se aprofundar no assunto: O que é customer experience e como isso pode impulsionar o seu negócio.

 

As principais ferramentas de bi

Cadastre seu e-mail para receber conteúdos